A música de hoje trabalha para o lado negro da força

Não, isso não é um protesto contra o heavy metal “do demo” ou o sertanejo. A frase acima serve para praticamente todas as músicas que ouvimos atualmente. Até um Mozart ou um Verdi.

Hoje, praticamente todos os instrumentos e e todas as músicas que escutamos estão afinadas na frequência 440 Hz (vibrações por segundo – afinal, som é uma vibração). Mas não foi sempre assim. Verdi, por exemplo, preferia a afinação na frequência de 432 Hz. Era uma frequencia perfeita, harmônica, já que, segundo alguns especialistas, é a mesma frequência do universo.

Frecuencia-432-Hz2-300x198

A frequência 432 Hz utiliza a fórmula Phi, conhecida como regra de ouro. É capaz de reproduzir de forma natural a “espiral musical pitagórica”. É a sequência seguida por toda forma de vida. Está em ressonância com cada célula de nosso corpo. É a frequencia dos batimentos cardíacos. Estimula a produção de serotonina e o lado direito do cérebro. Essa é a frequência de afinação dos violinos Stradivarius que, não por acaso, soam muito melhor do que os violinos convencionais. Está de acordo com padrões matemáticos perfeitos. Por exemplo: como convenção, utiliza-se o Lá como base de afinação, sendo que a afinação das outras notas são uma consequência. Nessa afinação, a frequência do Dó, nas diferentes oitavas, segue uma progressão da potência de 2:

128 Hz = 27
256 Hz = 28
512 Hz = 29

Então, por estar de acordo com o universo e suas leis, a frequência 432 Hz inspira paz, lógica, harmonia, perfeição e universalidade.

Em 1939, houve um decreto na Europa para mudar a afinação de 432 Hz para 440 Hz. Uma frequência dissonante com o universo. Que, por isso, pode gerar os efeitos contrários à afinação 432 Hz: distorções, inadequação, podendo inspirar caos social, estresse e até guerras. E adivinha quem proclamou essa mudança? Joseph Goebbels, o ministro da propaganda nazista, durante o período de ascensão do nazismo, para causar vulnerabilidade e caos na Alemanha.

Anos depois, em 1953, o decreto de Goebbels foi aprovado pelo ISO (Organização Internacional de Padronização), e passou a servir para todo o mundo, dominando os instrumentos, as orquestras e a indústria fonográfica. Então, hoje, quando você escuta um Mozart, ou um Bach, está escutando em uma frequência diferente daquela em que foi escrita.

Dá para ter uma noção da diferença das frequências no vídeo abaixo. A música tocada na versão 432 Hz parece muito mais harmônica e perfeita. Já a mesma música tocada em 440Hz gera uma certa aflição.

Aqui, você consegue baixar um editor para converter suas músicas para 432 Hz.

Hoje em dia, há diversos músicos e institutos lançando movimentos para se voltar ao padrão de afinação de 432 Hz.

Então, na próxima vez em que o U2 quiser lançar uma música pela paz, é bom começar compondo na frequência 432 Hz.

Curiosidade: a mudança de 432 Hz para 440 Hz reflete um aumento de 1,776% na frequência. 1776 foi o ano da criação dos Illuminati, na Baviera. Mas essa já é outra história.

114 respostas em “A música de hoje trabalha para o lado negro da força

  1. Não consegui converter uma música, não. O Audacity que baixamos está bem diferente da descrição do site. Acho que esse Audacity do print era num Windows XP…😦

      • Olá,

        Fiquei procurando por horas como mudar a frequência de músicas. Quando achei esse site fiquei super, mega empolgada. Ainda mais por já ter o Audacity, mas aconteceu o mesmo que a Rapha. As imagens da descrição estão bem diferentes do programa, mas de qualquer forma me sinto feliz pois logo vou poder converter minhas músicas com sua ajuda🙂

      • Obrigada, Geraldo!! Agradeço muito mesmo. Vou ver o link que você me passou e já te respondo.
        Abraços

      • Muito interessante mesmo, Geraldo!! Hoje recebi um email com a notícia de que o exame de DNA do humanóide do Atacama deu que era humano, mas preciso me aprofundar no assunto. Mas você já ouviu falar da Starchild (Criança das Estrelas)? O exame de DNA deu partes não-humanas!! E o cientista está em campanha por patrocinadores para poder decifrar todo o genoma. Se ele não sofrer um boicote, vai ser uma revolução!! Ainda vou fazer um post sobre isso.

        Esse site que você passou tem várias outras coisas interessantes. Obrigada!!

    • Cara Rapha Beykn, na tua versão do Audacity, clique no Menu [Efeitos] e em seguida selecione o item [Alterar Altura]. Então, tu verás a janela para mudar o tom de 440 para 432.

    • olá,gostaria de sanar uma dúvida,eu tenho músicas já convertidas em 432hz mas gostaria de saber se eu converter a música para outro formato,por ex: MP3 ela deixaria de ter a frequência de 432hz?

    • Olá. Excelente postagem. Qual o significado da roda que tem um rosto esculpido e um dos olhos que parece cortado por algo?

      • Oi, Lúcia, tudo bem?
        Obrigada pelo comentário. A imagem da roda é da Bocca della Verità, uma escultura que fica em Roma, na Itália. Ela fazia parte de uma fonte que, antigamente, segundo a lenda, era usada para se detectar mentiras. A pessoa deveria colocar a mão dentro da boca e dar seu depoimento sobre algo. Se fosse mentira, a boca se fecharia, mordendo a mão da pessoa. Aqui no site ela é usada como metáfora para mostrar que estamos sempre em busca da verdade e que os mentirosos, cedo ou tarde, serão desmascarados.🙂

  2. Oi, Rapha e Renata,
    um colega conseguiu converter as músicas usando esse editor. Talvez as imagens sejam diferentes, mas ele funcione. De qualquer forma, estou buscando outros editores para postar aqui, ok?

    • Aqui, um tutorial para converter as músicas no Audacity.

      1. Baixe o Audacity em http://audacity.sourceforge.net/download

      2. Abra o arquivo que você quer converter

      3. Vá em Edit > Select all

      4. Vá em Effect > Change pitch

      5. Coloque Pitch from F down to A, semitones 0.31, Frequency (Hz) from 440 to 432

      6. Clique em Ok

      7. Vá em File > Export > Exporte como .wav ou .mp3.

      Pronto!!

  3. Carla, vou te falar qual o problema básico… Seguinte, quando chegamos ao passo 5 (coloque Pitch from F down to A, semitones 0.31, Frequency (Hz) from 440 to 432), o sistema não permite essas alterações. É assim: quando abrimos a opção ‘Change Pitch’, a opção ‘pitch/tom’ está ‘F up to F’, daí alteramos como no tutorial para ‘F down to A’… até aí, ok! Quando vamos ao segundo passo (alterar para ‘semitones 0.31’), imediatamente o que alteramos no ‘pitch/tom’ antes volta do ‘down’ para ‘up’ novamente. E, por fim, quando tentamos alterar ‘Frequency (Hz)’ ela não permite digitar nenhum tipo de caractere… Se for só comigo, tudo bem. Se não, alguém, please?😀

      • Pessoal,
        para alterar a Frequência no Audacity:

        Vá em Effects > Change Pitch

        Aí, em vez de tentar mudar a Frequência, vá em Percentage Change e coloque -1.8.

        Dê ok, aí a frequência muda automaticamente. Fiz aqui e deu certo. Vocês vão perceber as músicas um pouco mais baixas de tom, mas bem mais harmônicas!!

        Dá para fazer pelo SoundForge também.

        Abraços!!

    • Eu tenho a solução…procurei, procurei..e encontrei. Tava com o mesmo problema. Bem você procede como diz nno tutorial, e deixa a mudança da frequencia “de 440 to (para ) 432 para o final. quando você vai digitar lá dentro ai trava não é? então, você faz o seguinte: quando for colocar esses valores lá dentro, você antes escreve num editor de texto como o Br office por exemplo, o valor 44o e o valor 432. ai você copia e cola cada valor por vez, dentro da caixinha de frequencia. Se a gente copiar e colar ei ele vai normal, mas se for dar o backspace para limpar os valores do box e escrever outrso ai trava…Espero ter ajudado.

      • Ah outra coisa qeu notei, da pra fazer as alterações mas o semi tom não pode ficar em 0,31 e sim em 0,32 para dar 432 hz certinho. Se ficar em 0,31 ai vai dar algo em torno de 432 virgula alguma coisa.

    • Outro detalhe a percentagem de alteração pelo exposto no tutorial acima temde ficar em -1,818 ( automaticamente ocorrerá a alteração para esse valor)

    • Cara Rapha Beykn, na tua versão do Audacity, clique no Menu [Efeitos] e em seguida selecione o item [Alterar Altura]. Então, tu verás a janela para mudar o tom de 440 para 432.

      • Pelo programa do audacity que tenho é soh vc mudar nos efeitos o tom, de LA 4 de 440 hz para o Lá 4 de 432 hz, do lado da nota aparece se é o lá 1 , 2 ,3 , 4 e assim por diante, entao coloca-se o Lá 4 e acerta a porcentagem para -1,8181 ou -1,818, e é isso. Boa Sorte

    • Olá, Marks,
      acho que precisamos ver em que oitava essa música está marcando esse valor, para saber se no Lá ela marca 432, 440 ou outro valor, e aí fazer a conversão, se necessário.

  4. Que besteira. 1. A segunda coisa ouvida sempre será desequilibrada (num primeiro momento ) em relação a aquela que já temos na memória recente. 2. A sequência de Fibonacci sempre será aplicada a qualquer frequência e também qualquer frequência será sempre oitava acima ou abaixo pela mesma relação exponencial. 3. As orquestras há muitos anos já afinam em 442 ou 443 hz (e não mais em 440hz). 4. Então todas as outras atrocidades da humanidade antes de 1939 estaria ligadas à paz e a perfeição?
    Mais ridículo que essa matéria só os comentários de quem engole coisas tão absurdas assim. A não ser que esse seja um blog de pegadinhas e aí o ridículo fui eu.

    • Caro Paulo,
      o artigo foi escrito com base em pesquisas sérias, por isso não acho que deveria ser rotulado como “besteira” e “ridículo”. Vamos acalmar os ânimos, rapaz!! Mas como você tem todo o direito de questionar, aqui vão as respostas:

      1. Nem sempre. É só inverter a ordem de audição que você sentirá o mesmo efeito. Há pessoas que nem percebem a diferença. Porque o que importa não é o som que você vai ouvir, mas o efeito que isso produzirá em você. Mais ainda, uma percepção empírica não invalida uma constatação que foi feita com base em estudos científicos e matemáticos.

      2. Se você ler “The Math Behind the Music”, de Leon Harkleroad, entenderá que pode aplicar a sequência Fibonacci a qualquer frequência, mas só produzirá resultados exatos e redondos na 432 Hz. Na 440 Hz, no entanto, você obterá números quebrados, inexatos, com várias casas decimais. O mesmo vale para as oitavas acima e abaixo.

      3. Mas isso não faz diferença. Continua sendo uma frequência não harmônica. Fora que a diferença de 2 Hz é mínima, se comparada à de 8 Hz relativa à afinação 432 Hz.

      4. Isso em nenhum momento foi afirmado. Ninguém nunca disse que antes de 1939 não havia atrocidades ou caos, ou que isso estaria ligado à paz. O artigo apenas mostra que a frequência foi mudada durante o nazismo, mas que ainda hoje seguimos esse padrão, que é prejudicial à sociedade.

      Apenas como informação adicional, essa volta aos padrões 432 Hz foi defendida em um referendum assinado por 23 mil músicos franceses.

      Abraços

      • O texto contém mesmo muita mistificação. Sem dúvida existe uma argumentação a favor de outras afinações que não 440, mas o que está escrito aqui vai muito além conferindo a essa decisão uma série de consequências absurdas. Além disso, muitas outras afinações foram usadas ao longo dos tempos.
        Uma comparação como a do vídeo não tem na verdade valor nenhum do ponto de vista científico, e não vale como argumento para nenhum dos dois lados. Só dá para afirmar alguma coisa com uma metodologia um pouco mais sólida que inclua um teste duplo cego.
        Pi não é uma fórmula, é um número. A “Regra de ouro” é um termo usado em ética, e não tem nada a ver com Fibonacci. Talvez a autora quis se referir à “proporção áurea”.

      • Caro Guilherme,

        O vídeo não tem a pretensão de ser um experimento científico, mas apenas de oferecer às pessoas uma experiência pessoal, para ver se conseguem sentir os efeitos da mudança. Não é para ter valor científico, até porque muita gente nem consegue perceber a diferença. A teoria não está baseada em uma observação empírica. Por isso mesmo, descartaria o teste cego, já que não teria utilidade.

        Como você pode ver na resposta ao comentário acima, a teoria baseia-se em um acontecimento histórico e no fato de que a frequência de 432 Hz está em ressonância com frequências universais. Não é a tôa que a frequência de 432 Hz vem sendo utilizada em terapias pela música. No caso, tais terapias podem ser classificadas como alternativas por não obterem – ainda – um reconhecimento formal da medicina, mas lembre-se de que a acupuntura também já foi classificada como alternativa um dia e, no entando, hoje já é reconhecida pelos Conselhos de Medicina. Sendo assim, não acho que se trata de mistificação ou consequências absurdas. De qualquer forma, considerando que a frequência 432 Hz está de acordo com leis do universo, as vantagens de escutar uma música nessa frequência ficam claras, a meu ver.

        Phi é o número de ouro, também chamado de proporção áurea, como você disse, extraído da sequência Fibonacci.
        http://pt.wikipedia.org/wiki/Proporção_áurea

  5. Oi, Carla
    Não acho que tenha fundamento este artigo, pois a medida de freqüência é arbitrária, baseada em uma medida aproximada de transição atômica. Assim, ser um número inteiro (como vc diz das potências de 2) não faz disso uma medida universal. Assim, pouca importa se a nota LÁ está em 440 ou 432, pois ambos são definições arbitrárias e não universais. Além disso, as outras notas têm freqüências quebradas e não inteiras, e nem por isso causam sensação de estranhamento.
    Acredito que esta sensação que vc diz seja mais devido ao costume de se ouvir uma nota em determinada freqüência e depois alterá-la em alguns Hetz.

      • Oi, Henrique, obrigada pelo comentário.
        Eu não diria que a medida de frequência é arbitrária, porque ela é definida pelas vibrações por segundo (oscilações ou ondas). Mesmo que a medida hertz e o segundo sejam definidos por um padrão arbitrário, a questão é a frequência 432 Hz estar em ressonância com outras frequências universais, e por isso em harmonia. A Ressonância Schumann, descoberta matematicamente na década de 50, mostra que a ressonância eletromagnética da Terra pulsa em uma frequência de 8 Hz. Tomando a frequência do Dó em 8 Hz e elevando em 5 oitavas, teremos um Dó a 256 Hz e um Lá a 432 Hz. Essa é a exatidão a que me refiro.

        OBS: A frequência 432 Hz foi determinada por Pitágoras, conhecido matemárico grego, e por isso é chamada de Afinação Pitagórica. 432 Hz também é a frequência de afinaçao dos violinos Stradivarius, famosos por sua sonoridade inigualável. E na frequência 432 Hz, as outras notas também são inteiras:
        Dó = 257
        Ré = 288
        Mi = 324
        Fá = 344
        Sol = 384
        Lá = 432
        Si = 484

        Fontes:
        432Hz Natural Tuning, de Luca Francioso.
        The Math Behind the Music, de Leon Harkleroad
        http://www.neilcherry.com/documents/90_n1_EMR_Schumann_Resonance_paper_1.pdf
        http://www.backto432hz.org/mediapool/65/656145/data/Newmusicaltuning.pdf
        http://en.wikipedia.org/wiki/Pythagorean_tuning
        http://www.schillerinstitute.org/music/rev_tuning_hist.html
        http://en.wikipedia.org/wiki/Concert_pitch

      • O Henrique tem razão. O próprio sistema temperado, que usamos na música ocidental desde o século XVII, é totalmente arbitrário e não natural. Só funciona no nosso contexto cultural e na nossa época. Outras soluções de temperamento, alegremente usadas em outras épocas e tradições musicais, tornam impossível a música tonal como a conhecemos.
        Além disso, prezada Carla, concordo que esse é assunto mais apropriado para as chamadas terapias alternativas, que não costumam gostar muito de testes mais sérios, com placebo, duplo cego, grupos de controle e outros.

      • Oi, Guilherme,

        como escrevi para o Henrique, acredito que o valor está não na exatidão dos números, mas na harmonia com a frequência universal. Acredito, também, que os resultados de uma pesquisa não conseguem ser medidos a curto prazo, se é que existe como medir-se o resultado de uma experiência como essa. Seria praticamente impossível linkar os níveis de estresse de uma pessoa ou o nível de caos no mundo com a frequência da música que se ouve, até porque são muitas as variáveis envolvidas. A intenção é muito mais a de uma prática pessoal ou, porque não, social, com benefícios que, ainda que não possam ser medidos, possam ser sentidos. Mas acreditar nessa possibilidade vai, mesmo, de cada pessoa.

  6. Pingback: A música de hoje trabalha para o lado negro da força | Agência Simples Ideia

  7. parabens pelo post!! muito interessante, so um detalhe, como deve saber, o universo não é um espaço de harmonias, na verdade a caracteristica predominante no universo é o caos!
    portanto harmonizar com o universo é harmonizar com o caos perfeito que ele é!

  8. the current 440hz was not introduced by goebbels, he thought that 440hz could raise the soldiers to be more aggresive on combat fields, but it was on the 50’s decade that in a musicians summit held in the UK, the 440hz was set as current standard, despite the opposition of several ‘old-school’ musicians who pushed hard to revert back to the 432hz standard. If you’re still in doubt, check it out on the web.

    • Oi, Christian, na década de 30 ele instituiu a frequência na Europa, mas de fato isso virou regra nos anos 50.

  9. 1. Com os números que vc passou a afinação ‘ áurea’ seria de 430.54.
    2.Na época de Mozart não havia aparato instrumental ou teórico para que houvesse uso u niversal de uma frequência para música, até porque essa medida só surgiu entre o séc XIX e o XX. (vale também para os violinos Stradivarius).
    3.A proporção áurea ou ‘de ouro’, (Phi e não Pi) é relação de proporcionalidade, que pode funcionar a partir de qualquer valor estabelecido. O que encontramos no universo é essa constante de proporção, e não os valores que ela atinge. Ou seja, nem meu coração nem o universo vibra em 432hz ou alguma fração disso, isso não faria sentido.
    4. Apresente fontes, fiquei interessado, mas me desiludi porque o texto apresenta muitas falhas.

    • Caro Tomás,
      antigamente, a frequência era baseada no método Pitagórico, e também existia o garfo, que foi criado antes do nascimento de Mozart.
      Com relação à proporcionalidade, um exemplo é de que a Terra vibra na ressonância Schumann de cerca de 8Hz, que é harmônico de 432 Hz.
      Fontes:
      The math behind the music, Leon Harkleroad
      http://en.wikipedia.org/wiki/Pythagorean_tuning
      http://www.goldennumber.net/music/
      http://www.schillerinstitute.org/fid_91-96/fid_911_jbt_tune.html
      http://books.google.com.br/books?id=KfO3MhSziIAC&pg=PA224&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false

      • Tuning forks used by orchestras between 1750 and 1820 mostly had a frequency of A = 423.5 Hz, although there were many forks and many slightly different pitches

    • Olha me intriga um pouco todo isto pois os instrumentos da época de Mozart ,tinham digamos assim alguns problemas que impediam de ter frequências mais altas ,tais como cordas de tripa animal que quebravam rápido e não aguentavam alta tenção o cravo e a espineta que não tinham uma afinação padrão e tinham que ser constantemente afinados conforme a tonalidade que tocavam,tdo bem que Bach já havia resolvido alguns destes problemas ,mas na verdade o padrão 440 se dá pela própria evolução dos instrumentos musicais,na Alemanha existem orquestras que tocam com a afinação 445 alto brilho das cordas.

      • Sim, existem até orquestras principalmente do leste europeu que tocam em 448 Hz. Mas isso não foi uma evolução natural, na verdade foi resultado de uma norma estabelecida.

    • Não, só tem um agredindo os outros. Os demais estão averiguando e aprofundando o conhecimento na história da humanidade, examinando tudo que tem direito pra ver que está certo. O contrário é mesmo perda de tempo…

    • Caro André, obrigada pela contribuição.

      O artigo citado relata o mesmo que foi relatado aqui, com a diferença de que ele questiona a idoneidade do Instituto Schiller. Bem, o artigo transcrito do jornal é extremamente parcial, assim como é a maioria das coisas que nos chega pela a mainstream media. De qualquer forma, acredito que tudo o que Larouche diz sobre o tráfico de drogas, a AIDS como instrumento discriminatório e o FMI são verdades.

      Seria bom também verificar a Declaração de Direitos Inalienáveis do Homem elaborada pelo Instituto Schiller. Aqui, um trecho:

      “Nós… solenemente publicamos e declaramos que todos os países do mundo são e devem ser, por direito, Estados livres e independentes. Que todos os seres humanos neste planeta têm direitos inalienáveis, que os garanta vida, liberdade, condições materiais e o direito de desenvolver completamente todas as potencialidades de seu intelecto e sua alma.”

      Larouche, através do Instituto Schiller, defende o perdão das dívidas, e também um tema muito importante que já discutimos aqui, que é a farsa do aquecimento global como resultado da ação do homem. Segundo o Instituto, as mentiras climáticas podem levar ao genocídio, sendo que “a atividade solar, e não a humana, é o maior fator na mudança de clima da Terra”, algo que já foi comprovado por inúmeras pesquisas científicas sérias (pesquise Climategate). A farsa climática só beneficia alguns países ricos, na medida em que impede o desenvolvimento de outros.

      Isso não me parece anti-semita, certo? Aliás, se você acompanhar o blog, vai perceber que existe uma grande diferença entre judeus e sionistas. O sionismo defende uma supremacia judaica a qualquer custo (como o Hitler defendia a supremacia ariana), e por isso deve ser combatido. O problema é que as pessoas que defendem a extição do sionismo (como é o caso de Larouche) acabam sendo taxadas de anti-semitas porque as pessoas não sabem qual é a diferença entre as duas coisas, e porque outros interesses querem gerar descrédito à causa. Isso é algo que merece muita pesquisa a fundo.

      Segundo Larouche: “Ódio relogioso e racial, tal como o anti-semitismo, é a expressão mais cruel da criminalidade a ser vista no planeta hoje.”

      Para mim, está claro por que a mídia e determinados governos procuram desacreditar o Instituto: o papel dele é exatamente combater essas mentiras. Sobre o autor, tudo o que ele escreveu sobre a indústria americana ter mudado a afinação está correto, mas isso veio depois, a meu ver.

      Grata pelo comentário.

      • Gente usar a ciência para criticar um trabalh que não tem pretensões maiores a não ser ajudar as pessoas e abrir campo para novas pesquisas, é um tanto arrogante! Estudo duplo cego, ramdomizado é muito bom para assuntos que hoje a ciencia domina…Ela em si (a ciência) sofre limites sim, é limitada pelo estágio de evolução civilizatória pela qual ela contextualmente se insere! Só porque não vemos, ou não temos como medir (não temos instrumentos, tecnologia ou recursos) não quer dizer que a coisa não exista, necessariamente. Por exemplo: Será que os homens sábios que viviam à epoca de Cristo há 2000 anos atras saberiam explicar de forma científica, um aparelho de celular que tira fotos e as envia pelo ar instantaneamente para o outro lado domundo em segundos? Não saberia explicar não.. porque o estágio deevolução civilizatória , seus niveis de conhecimentos seriam limitados para a época..E digo: raios uva, uvb, de frequencia diferentes emitidos pelo sol sempre existiram naquela época, só não se conseguia medi-los como hoje! Contudo os efeitos do sol se faziam presentes na pele, queimando a pele (UVB), mesmo dos povos antigos…E hoje se pegarmos um homem do futuro que esteja a 2000 anos a nossa frente, a atual ciencia racional, com seus ramdomizados e duplo cegos feitos saberia explicar os brinquedos e mimos tecnológicos desta civilização avançada? Talvez sim, talvz não! Sabemos que o ceu azul esverdeado de um dia de verão emite uma frequencia de cor da ordem de 490 namômetros mais ou menos e essa frequência estimula a produção de serotonina pelo cérebro(pela estimulação das células oculares)..Não vemos mas sentimos os efeitos.. A música não poderia ser dferente. Sons são frequencias,. e diversos tipos e amplitudes de onda..Esperimente ouvir um havy metal ao chegar stressado do trabalho ou uma música suave e tranquila na mesma situação(um mozart por exemplo, ou o som das ondas do marquebrando na praia)…musica classica, som de praia havy metal, tudo isso são sons….Só que arrumados e organizados dentro de determiadas frequencias e vibrações..Um som inaldível por exemplo, um infra som..nãoconseguimos escutar, mas isso não quer dizer que ele não exista..e mesmo não esteja nos afetando só porque não temos como ve-lo ou medi-lo. Portanto defendo a ciência, acho necessária, os estudos ramdomizados e duplo cegos, mas devemos ter consciência dos limites dessa mesma ciência e não ser arrogante demais com tudo e todos. A modificação de frequência em 432 hz, se não foi comprovada em seus efeitos isso não quer dizer necessáriamente que ela não influencie ou não se faça sentir em seus efeitos bons ou ruins só porque não temos como medir de forma empírica esses efeitos…Tudo aquilo que venha pra somar e fazer o bem as pessoas, promovendo bem estar e saúde é válido. Hoje temos estruturas no cérebro, sensíveis a radiações eletromagnéticas(frequencias).A Melantonina por exemplo é sensível a campos eletromagnetica e tem sua produção prejudicada no cérebro na presença de tais campos , ou na presença de luz. E isso você pode perguntar a qualquer endocrinologista competente que ele te dirá. Espero ter ajudado. Abraço..
        Mauro Alvares

      • Caro Mauro,
        obrigada por seu comentário, você captou exatamente a essência da postagem.
        Vale dizer que nem tudo na ciência é comprovado, porque ela mesma se usa de fé para explicar teorias que não consegue comprovar, como a da matéria escura.
        Grata pela contribuição.

  10. Pingback: Como a música passou a gerar o caos nos dias de hoje // justplay.info

  11. Uma correção de um post antigo meu: afirmei o seguinte” Ah outra coisa qeu notei, da pra fazer as alterações mas o semi tom não pode ficar em 0,31 e sim em 0,32 para dar 432 hz certinho. Se ficar em 0,31 ai vai dar algo em torno de 432 virgula alguma coisa.”..Na verdade se colocarmos o semi tom em 0,32 não dará 432 hz e sim 431,942, hz .temos de colocar o intervalo em 0,31 mesmo..para obtermos a frequência de 432,191 hz um número bem próximo de 432, mas em todo caso obteremos de forma coreta a frequencia de 432 hz…Issoo utilizando o programa Audacity que pode ser baixado de graça pois é freeware…Agora que notei esse erro e imediatamente postei..obrigado.

    • OUtra observação..o que disse acima é correto…se vc for mexer no semi tom por primeiro…Agora fuçando um pouco mais o audacity também descobri que se colocarmos o a frequencia de 432 hz na caixinha de dialogo do editor de audio apos feitos os outros ajustes, automaticamente o intervalo de semi tom vai para -0,32!… o que daria em tese um ajuste mais afinado e correto.Em outras palavras, a correção feita acima pode ser desconsiderada, uma vez que esta é a mais correta ou seja a dica que já estava… (se form mexer no semi tom antes de ajustar a frequencia em 432 hz, dará uma sobra, uma vírgula depois da frequencia 432hz….. Valeu.

  12. Não sei se por estar condicionado, pois acabei de ler a matéria, mas consegui sim notar uma diferença na música apresentada no vídeo. Com a frequência de 432 Hz eu me senti bem mais relaxado, enquanto achei um pouco sombria a versão de 440 Hz.

  13. Olá Carla!!!
    Excelente Matéria!!!!
    Mostrei Para alguns amigos físicos e alguns espiritualistas e eles ficaram surpresos!!!!
    Mas, você pode me citar exemplos de músicas atuais famosas que estão na frequência de 440 Hz???
    Grato!!!!!

  14. Não consegui ver com base em que afirma-se que 432 é a frequência do universo. Como se mede a frequência do universo para poder comparar?

  15. Que besteira! Que afinação do universo é essa? Leis? Leis da física? A frequência de batidas do coração é essa desde quando?´Referências? Texto completamente ridículo e que contribui para a desinformação…

  16. Sem querer ser ofensivo, mas essa mudança de frequência não gera diferença nenhuma em questões harmônicas. A série harmônica permanece inalterada, independente da frequência, pois a mesma é referencial. Como já foi dito em posts anteriores, sequer existia uma forma precisa de afinação há não muito tempo atrás e essas pequenas diferenças são insignificantes ao ouvinte. É muito mais importante para uma orquestra soar harmônica (se for essa a intenção, vide escala menor melódica quando tocada sobre um acorde diminuto) afinando seus instrumentos na mesma frequência, independente de qual seja, do que buscando esse ou aquele padrão.

    • Olá, Wagner,
      obrigada por suas explicações. No entanto, quando falamos em harmonia, não estamos nos referindo à harmonia musical, mas a uma harmonia mais sutil, harmonia de alma, de se sentir em harmonia com o universo. Realmente, os efeitos desta mudança de frequência não podem ser medidos por aparelhos, é algo muito mais pessoal, em pequena escala, e universal, em grande.

  17. Aumentaram a frequência de música ruim faz tempo.
    No caso do Brasil, final dos anos 80, a música foi extremamente banalizada com a massificação de refrãos chatos, apelativos, repetitivos .
    Mas a natureza se compensa , por mais que certos lunáticos, no topo da pirâmide, tentem controlar ou manipular as massas, sempre haverá um alimento chamado poesia.
    Não se controla a poesia por decreto!
    Uma música boa em 432hz vai continuar a ser boa em 440 hz.

    DEUS escreve certo por linhas tortas, assim como poetas tocam a alma em frequência satânica.

    Feliz dos que podem fazer um som puro e simples, sem precisar agradar a deus nem o diabo,
    pois nada tão inconveniente do que um heavy metal gospel.

    Enquanto a frequência , a solução é compensar com a poesia…e buscar o som natural dos instrumentos.

    Parabéns pelo nível das postagens.

  18. nao sei… ma ja faz muito tempo che as frequencias utilizadas pela maioria dos supportos audio (cd, dvd, etc) sao 441 hz (nao 440) ou 480 hz (16 bit), e atè 960 por dvd audio. nas gravadoras ainda maior atè 1920 hz . eu com meu pc gravo e toco regularmente a 24 bit e 960 hz.. e mais ainda no artigo nao specifica o tipo de formato audio (wav, aiff, flac, mp3, ogg vorbis, ape, etc etc), cada um deles tem caracteristicas muito differentes, o video do youtube esta num formato mp3 MUITO comprimido, entao è muito dificil conferir

  19. A cymatica é uma ciencia que comprovou que as ondas sonoras são capases de afetar a matéria, já há bastante material em portugues sobre o assunto e videos no youtube mostrando a diferença experimental entre as frequencias de 440 e 432hz que é mais harmonica. O som é uma forma de energia e a propria definição de energia é insatisfatoria logo temos um bom caminho a se trilhar. A humanidade evoluiu mas muito foi perdido, ocultado ou pervertido. A alegação de teoria conspiratoria nos tempos atuais NÂO deve nos impedir de testar e pesquisar, hoje tudo é possivel cabe aos ceticos provar a falsidade e não o contrario, só porque não se consegue explicar o mistério por traz da construção das piramides não significa que elas não existam. O ceticismo é bom apenas para mentes abertas.
    Programa para converter foobar2000 com o plugin SoundTouch as configurações são as mesmas do audacy. Para saber mais leia cobre cimática, acoplamento quantico, conhecimento antigo. fractais, fibonacci. Abraçs

  20. Bom dia. A única diferença que percebi foi no início da música. A diferença está na música toda ou somente lá, no começo? Tenho muito interesse nessa área dos efeitos musicais sobre o corpo. Onde posso ler sobre esses assunto mais profundamente? Obrigado.

    • Oi, Douglas,

      o efeito deve se dar na música toda, a partir do momento em que ela é convertida. Você pode encontrar mais informações sobre o assunto nos links postados nos comentários.

      Obrigada!!

  21. Olha sinceramente, eu até entendo as argumentações aqui explanadas, e respeito a opinião de todos, porém a informação que deve ser ressaltada atualmente com relação a música vai além da frequência. Não adianta eu escutar ACDC, Black Sabaah ou funk achando que se eu escutar esse tipo de música na frequencia de 432hz eu vou me harmonizar com o universo… isso é irracional. As musicas são compostas por ritmo, melodia e harmonia, e existem vários estudos que comprovam que musicas mais harmônicas apelam diligentemente à emoção, ou musicas ritimadas as pessoas são induzidas ao movimento, alguém aqui já reparou que ao escutar algumas musicas é muito dificil ficar parado? Enfim, as musicas afetam as nossas emoções, e consequentemente nossa maneira de pensar e agir. Isso sem levar em consideração as letras, que hoje em dia estão cada vez mais apelativas para violência e sexualidade. Assistam este video, ele é um pouco técnico no inicio, mas é esclarecedor: http://terceiroanjo.com/os-efeitos-da-musica-no-corpo/ . Abraços

  22. Como alguém refuta essas informações? A cymatica é uma prova visual do que você pode sentir como o seu corpo. 432 Hz é muito mais claro e harmonioso do que 440 Hz.
    432 Hz não é a frequência do universo, ela só vibra melhor, é mais afinada, se propaga melhor pelo ar, é mais agradável de ouvir por esses motivos. Agora se essa frequência tem um efeito mais harmônico na água, imagina em nosso corpo que é quase inteiro feito de água. Vibramos juntos com a música. Isso é incontestável. Mudar a frequência, nesses casos pode significar a mudança de qualidade de um arquivo MP3 de 128kbps para um arquivo Flac 2000kbps
    Isso é só o lado físico do negócio, imagina o lado espiritual desses estudos. Estudos de indução de comportamento, mudança celulares….

    Aqui está mais um tutorial para o Audacity que eu escrevi com base no que eu aprendi aqui:

    Carregue a musica
    Aba/Efeitos
    Alterar tom:

    Porcentagem -1,8181 (assim você obterá exatamente os 432,000)
    Meio tom = -0,32
    440 é relativo à nota lá (Tom: A)

    É comum a nota (TOM) inicial da música ser outra nota e a sua referência
    em frequencia ser outra, pois corresponde à uma escala já determinada.
    Verá que ao alterar a porcentagem a nota (TOM) não muda, mas
    se mexer na frequencia, a nota mudará devido sua equivalência na sua frequencia em Hertz

    • Olá, Issamorevolution, muito obrigada por suas contribuições!! Certamente muito valiosas para quem está em busca dessas informações.
      Grata,
      Carla

  23. Estamos em uma questão elevadíssima , e, que percebemos como o egoísmo do ser humano ainda está em alto grau . No ano de 1938 um químico ALEMÃO , chamado Albert Hoffman descobriu a molécula do LSD ( ácido lisérgico ) . Molécula essa que , com uma breve pesquisa na internet, chegaremos a conclusão de que aumenta a percepção e os sentidos do ser humano . Magicamente , 2 anos depois os mesmos alemães modificaram a frequência do som para 440hz , frequência essa que percebemos que afeta drasticamente a mente e saúde do ser humano , além de impedir a criação . Literalmente , esse não é um combate justo . A inteligência e o egoísmo do alemão são tão elevados , que conseguiram modificar a frequência do som em apenas 8 hz , para que poucos percebessem , porém todos sofressem os danos. Estamos diante de um fato que prejudicou o desenvolvimento humano em geral de forma trágica . Os senhores tem noção de que ouvimos em nosso telefone um som com frequência 440 hz ? Isso mesmo , quando falamos com alguém no telefone , a frequência é 440hz . Essa conversão  que alguns programas fazem de 440hz para 432hz não adiante nada , pois dificilmente encontraremos um aparelho de som ou uma TV em que o som reproduzido seja frequência 432hz . Marcas de som como SONY , Panasonic , e companhia , TODOS reproduzem som em 440 hz . Como sou um amante de som , sempre notei essa diferença , porém somente há poucos meses soube o que realmente era . Hoje em dia os únicos aparelhos de som que reproduzem em 432 hz são das marcas Marshall e Bang e olufsen , coincidência ou não , acredito que são marcas alemães . Até a famosa marca Bose Hoje em dia reproduz em 440hz , provavelmente porque estava se popularizando. Som original de veículos nacionais , somente a Ford reproduz em 432hz , carros Alemães , todos são 432hz . Será que na Alemanha o telefone é 440 hz ? DUVIDO !!! Talvez por isso o nível de desenvolvimento deles está muito acima do nosso . Talvez isso justifique o 7×0 no futebol . Um abraço a todos . 

    • isso de reproduzir em 440 acontece quando você utiliza um arquivo de Audio mp3 ou qualquer outro formato que trabalhe abaixo de 320Kbps e quando você tem um equipamento ruim, isso vai do processador de audio, qualquer processador de áudio de 24bits reproduz o som na mesma frequência da faixa de gravação, desde que a faixa esteja em 320Kbps, Todos os modelos de telefone da linha Lumia tem processador de audio de 24bits, diferente dos outros modelos que em sua maioria usa o processador de 16 bits. Uso hoje um lumia 630 para reprodução e um fone de ouvido Sennheiser PXC 450, também de tecnologia alemã.

  24. Eu já faço ouvidos das musicas em 432Hz há muito tempo, mas por achar que essa afinação é muito melhor e que os instrumentos aparecem mais quando você faz uma afinação ou conversão nesta frequência, não sei nada sobre efeitos da música nesta frequência no organismo e nem sobre questões espirituais, falo apenas em termos técnicos, mas ha algumas coisas que gostaria pontuar.

    Primeiro, não saias convertendo todas as suas músicas da forma que é ensinado por muitos aqui, pois esta forma que é ensinado aqui ela não transforma a frequência da musica para 432hz, ela apenas diminui 8hz da faixa de áudio, como você sabe a frequência que a musica está antes de você fazer a conversão? e se ela estiver em 444Hz? ou se já estiver em 432hz? esse padrão de 440 não é usado por muitos artistas, existem muitos músicos que gravaram em outra frequência, então se a musica pela qual você quer converter não estiver em 440hz por esse método você vai avacalhar mais ainda a música, se a faixa estiver em 444hz e você converter como é ensinado aqui você estará ouvindo em 436hz, enfim esse método só funciona se a faixa estiver em 440Hz

    Segundo, existe uma diferença muito grande em instrumento afinado em 432hz e musica digital convertida em 432hz (por meios digitais) ainda mais feito com um arquivo MP3 de 128kbps o arquivo mp3 “Moving Picture Experts Group (MPEG)” trabalha com a taxa de compressão máxima que se pode ter de um arquivo de áudio, vou dar como exemplo a música goodbue cruel world de pink floyd, ela tem uma extensão de 1:16 minuto em mp3 a 192kbps ela tem o tamanho de 1,76MB já em .FLAC que é um formato sem compressão e perdas esse mesmo arquivo vai para 56.45MB, então trabalhar em arquivos mp3 com menos de 320kbps é perca de tempo, eu particularmente uso minhas musicas em WMA a 392Kbps, e nem adianta fazer isso tudo se você não possui um reprodutor de boa qualidade, tudo tem que ser de boa qualidade e tem que ter paridade entre o arquivo de música, o Player e os outo falantes ou fones de ouvido, não pense você que você consegue muita coisa se você usa as caixinhas de som de 20 reais, ou fone de ouvido de 10 reais ou esses mesmo originais que vem nos aparelhos de telefone, eles passam de longe, mais muito longe de reproduzir algo parecido com o que foi gravado, tendo um bom equipamento e um fone mediano que custa em torno de R$ 500,00 (só o fone) ai talvez você consiga algo que não seja ruido.
    então voltando, nenhuma musica é gravada ou reproduzida com 100% fidelidade entre essas impossibilidades a mais básica é a 2ª Lei da Termodinâmica (fique á vontade para pesquisar) e não existem equipamentos para tal feito, musica é feita para “VIBRAR DIRETAMENTE NOS NOSSOS OUVIDOS, DO OBJETO QUE CAUSE A VIBRAÇÃO DIRETAMENTE AOS NOSSOS TÍMPANOS, SEM NENHUM MEIO ANALÓGIO OU DIGITAL FAZENDO ESSA INTERMEDIAÇÃO”

    Terceiro, parte técnica, (chata), 1Hz é uma onda por segundo, como uma onda no mar, tecnicamente (s−¹ ou 1/s) O som viaja numa onda que nada mais é que oscilação de pressão. Os humanos percebem a frequência de vibração das ondas sonoras como um tom. Cada nota musical corresponde a uma frequência em particular, que pode ser medida em hertz. portando existem fatores de resistência na atmosfera que faça que o som que saiu do instrumento não seja , o mesmo som que chega aos seus ouvidos, como pressão atmosférica, umidade do ar, e força do vento, portando um violão tocado na cordilheira dos andes você ouvirá um som diferente, caso esse mesmo seja tocado em copacabana, por exemplo. devido a essas diferenças que alteram o som, e sem levar em consideração o efeito Doppler.

    Enfim, muita coisa que envolve as vibrações, a amplitude, a altura tonal, a oitava, a velocidade do som, é totalmente ignorado aqui, e quando se mistura som e aparelhos de som (analógico x digital) ai que o buraco é mais embaixo ainda, pois segundo o Teorema de Nyquist, a frequência de amostragem de um sinal analógico, para que possa posteriormente ser reconstituído com o mínimo de perda de informação, deve ser maior ou igual a duas vezes largura de banda desse sinal, e isso são conceitos básicos da amostragem analógica.

    Isaac Metzker, Tec. de Audio “o infeliz que fica em uma mesa de som”

  25. tenho ouvido flar sobre um movimento da embaixada mundial de ativistas pela paz,que pretende levar este assunto adiante,atarves das cortes internacionais,para mudar a frequencia para 432hz, e isso a nivel mundial. acredito que todas estas pessoas serias tem alguma razao fundamentada para se moverem nessa direcao.

  26. No extenso livro de Bruce Hayne, A History of Performing Pitch: The Story of A (Históra da Afinação: A História do Lá), o autor conta que, nos últimos 400 anos, mais ou menos, o padrão de lá variou entre 380Hz e 500Hz – a diferença de uma terça maior em algumas escalas. Na Alemanha do século 17, narra Bonus, havia duas disposições de lá referencial, cada um com sua própria frequência, relativa: o tom chor referia-se ao lá maior, que flutuava em torno de 460Hz, e o tom kammer, ou tom de câmara, girava em torno de 416Hz, em média.

    Para Mozart, o lá era 421Hz, enquanto dizem que os orgãos tocados por Bach, em Leipzig, Hamburgo e Weimar eram afinados à altura de lá=480Hz. Em A Música no Seu Cérebro, o psicólogo cognitivo e neurocientista Daniel Levitin explica que a frequência exata da nota de referência não importa muito quando se trata de compor música (exceto talvez para músicos cujos instrumentos tenham limitações específicas), que explica seu movimento ao longo do tempo.

    “Podemos ajustar as notas onde quer que seja,” Levitin afirma, ”pois o que define a música é um conjunto de relações entre as notas”. As frequências específicas para as notas podem ser arbitrárias, mas a distância de uma frequência à próxima – e, portanto, de uma nota à próxima no nosso sistema musical (os intervalos discutidos acima) – não é nada arbitrária.”

    Sugiro a leitura:
    http://motherboard.vice.com/pt_br/read/432hz-a-nota-de-deus

  27. ola,gostaria de saber se essa frequencia de 432hz é só para musicas,ou seria para qualquer tipo de audio?pois eu tenho 3 audios de reprogramaçao mental que baixei da internet e as frequencias sao de 11025hz,2004,545 e o outro de 7350hz.e nesse caso,como fica?eu teria que converter para 432hz ou nao?gratidao.

    • 432 ou 440 seria é a frequência do LÁ – outras notas musicais inclusive Lá de outras oitavas possuem outras frequências, essas frequencias 11025hz por exemplo precisa descobrir qual seria essa nota e ver o LÁ próximo de 432 onde está, se for 432 não precisa mexer.

  28. existe algum software que possa afinar instrumentos em 432hz?
    e teria que mudar a posição dos acordes? como nos violinos, violão…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s