WikiLeaks vaza arquivos sobre existência de OVNIs

O WikiLeaks está liberando uma série de arquivos chamados “Podesta emails”, que são emails trocados por John Podesta, que é chefe da campanha de Hillary Clinton para a presidência, além de ter sido conselheiro do Obama e chefe de Gabinete da Casa Branca durante o governo do Bill Clinton. Até a eleição, o Wikileaks vai liberar mais de 50.000 emails.

E alguns já liberados revelam emails chocantes enviados a ele pelo astronauta da Apollo 14, Edgar Mitchell, o sexto homem a pisar na lua. Todos os emails podem ser vistos na página oficial do WikiLeaks, mas os mais relevantes até agora estou colocando aqui em tradução livre, juntamente com o link direto para facilitar. Vou colocar um por post, leia de baixo para cima para entender a ordem cronológica.

Email de 29/07/2014

> > De: rhardcastlewright@gmail.com
Para: Eryn_M_Sepp@who.eop.gov, john.podesta@gmail.com
Data: 2014-07-29 13:53
Assunto: Re: Pedido de reunião do astronauta da Apollo, Dr. Edgar Mitchell, para discutir Disclosure [nota do Pequena Dúvida: “Disclosure” é como se chama nos EUA a revelação de toda a verdade sobre OVNI ao público geral]

Querida Eryn [Eryn é a assistente do John Podesta]: Dr. Mitchell está disponível para uma reunião com John Podesta na semana de 11 de agosto, mas não poderá vir para DC [Washington]. Ele gostaria que eu fosse à reunião e então nos conectaríamos com ele por Skype. Agradeço se puder retornar com uma data e horário. Meu telefone é 301-915-4660.

Anúncios

Estudo feito no Brasil muda o que a arqueologia sabia sobre origem do homem

Um estudo realizado na Serra da Capivara, no Piauí, pode mudar o modo como arqueólogos e cientistas interpretam as origens da humanidade. Realizada em parceria entre pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) e da britânica Universidade de Oxford, a pesquisa publicada na Nature nesta quarta-feira (19) mostra que macacos-prego do parque nacional são capazes de criar ferramentas, o que antes imaginava-se que só humanos fariam.

Com a descoberta, artefatos encontrados em sítios arqueológicos e considerados como prova de ocupação humana podem ter sido feitos, na verdade, por macacos. Logo no início do estudo, os cientistas citam: “o entendimento do surgimento da tecnologia molda nossa visão das origens da humanidade”.

O estudo realizado no Piauí mostrou que macacos-prego da região deliberadamente usam pedras para conseguir frutos, cavar em busca de aranhas ou retirar líquidos com minerais de outras pedras. Quando batem as pedras em busca de líquido, surgem por acaso lâminas de pedra semelhantes aos antigos objetos afiados utilizados como ferramentas pelos primeiros humanos.

“Eu fiquei bastante atônito. Fiz meu PhD pesquisando sobre ferramentas de pedra feitas por humanos. Eu aprendi como fazer estas coisas. Estava olhando para o material e parecia que foi feito por humanos”,Tomos Proffitt, arqueologista de Oxford e um dos autores do estudo

Cientistas normalmente utilizam as características de pedras lascadas com arestas afiadas para distinguir ferramentas de humanos de pedras que poderiam ter sido naturalmente quebradas em sítios arqueológicos. A novidade pode provocar uma revisão de muitos achados arqueológicos feitos até então.

Os achados mais velhos do tipo, com datações de 3,3 milhões de anos e encontrados no Quênia, podem ser revistos, segundo pesquisadores envolvidos. O estudo, no entanto, não deve desafiar completamente a história da evolução humana na África, já que muitos dos achados no continente apresentam contexto humano maior nos sítios do que apenas pedras lascadas.

Anderson Petroceli/Zero Hora/Folhapress

Pedras lascadas são elementos típicos de sítios arqueológicos

O pesquisador brasileiro Tiago Falótico, do Instituto de Psicologia da USP, e o colega Eduardo Ottoni, seu supervisor, estudaram por anos o comportamento dos macacos-prego na Serra da Capivara – em julho, identificaram que os macacos usam ferramentas há ao menos 700 anos. Nos últimos três anos, aprofundaram a pesquisa com ajuda dos arqueólogos Michael Haslam e Tomos Proffitt, da Universidade de Oxford, além de outros pesquisadores.

As observações dos macacos-prego culminaram em coletas de pedras fragmentadas após o uso delas pelos animais e também em sítios arqueológicos da região – vale lembrar que a Serra da Capivara é um dos locais com maior concentração de sítios pré-históricos do mundo. Os objetos foram identificados com as mesmas características e formas das ferramentas humanas.

A conclusão dos autores do estudo pode mudar para sempre a arqueologia e a forma como vemos as primeiras civilizações humanas. Os pesquisadores apontam que, sem outras evidências, a produção de pedras lascadas não pode mais ser associada sozinha como sinal de presença de nossos ancestrais em uma determinada área – apesar de muitas das pedras lascadas achadas serem bem mais elaboradas do que as feitas sem intenção por macacos.

No entanto, ao menos uma característica segue restrita aos humanos. Embora produzam estas pedras lascadas, os macacos-prego não foram vistos as utilizando como um elemento cortante. Estes animais da região, no entanto, utilizam outras ferramentas, como varetas e as próprias pedras.

Fonte

Não, o mundo não vai acabar em setembro de 2015

stayonearth10

Se você faz parte de listas de discussão ou faz pesquisas sobre eventos solares, política imperialista e afins, já deve ter visto o alerta para “um evento monumental de proporções globais” que deve acontecer na Terra em setembro deste ano.

Pode até ser que aconteça algo como um grande evento econômico ou político ou algo parecido, mas não será o fim do mundo. Até porque, depois de analisar as razões que levaram essas pessoas a concluir que esse evento irá ocorrer, dá para perceber que há muita forçação de barra. Aqui vão alguns exemplos de argumentos usados para sustentar essa falsa previsão.

Argumento 1: Segundo o vídeo abaixo, “uma fonte” afirma que um cometa ou meteoro vai se chocar com a Terra no dia 23 de setembro. Esse cometa teria 2,5 milhas de largura e faz barulho. O cometa 67P, no qual a sonda Philae pousou em novembro do ano passado, tem 2,5 milhas de largura e faz barulho. Logo, conclui, trata-se do mesmo cometa e ficaria fácil entender por que a sonda pousou nele. Segundo a teoria, o cometa cairia em algum lugar no Oceano Pacífico, próximo da costa nordeste da América do Sul. Esse cometa foi descoberto em uma foto tirada do dia 11/9/1969, dia de eclipse solar e uma data importante do calendário judaico, além do dia em que a União Soviética fez um teste nuclear.
Resposta: Tá, mas e daí? É muito fácil pegar um dia no calendário e ver tudo o que de significativo aconteceu nesse dia. Isso não quer dizer nada. E, mais importante: o cometa 67P não estará na rota da Terra em setembro deste ano. Além disso, “uma fonte disse” é muito vago para se tirar conclusões.

Argumento 2: O Papa vai visitar a Casa Branca em 23 de setembro.
Resposta: Apenas uma coincidência. Certeza que o Vaticano tem seus próprios bunkers para o caso de algum evento global. O Papa e o Obama podem até anunciar algo juntos, se for o caso. Mas não é o fim do mundo. Aliás, o Papa vai participar da Assembleia da ONU.

Argumento 3: A 70ª Assembleia da ONU acontecerá de 15 a 28 de setembro, sendo que a ONU completa seu 70º aniversário no dia 25 de setembro.
Resposta: Isso também não quer dizer nada. Há a possibilidade de que haja uma proposta para a criação de um Estado Palestino.

Argumento 4: Um exercício militar conhecido por Jade Helm está programado para terminar nos EUA em 15 de setembro. Ao mesmo tempo, várias lojas Walmart estão fechando suas portas (muitos pensam que serão usadas como campos de relocação de pessoas). Já no Canadá, seria a vez do exercício militar Maple Resolve, que aconteceria ao mesmo tempo do fechamento de várias lojas Target.
Resposta: O Maple Resolve já aconteceu de abril a maio deste ano. Tanto esse exercício quanto o Jade Helm acontecem todos os anos. Já o fechamento das lojas não tem por que estar relacionado com os exercícios militares. É muito mais provavel que se deva a uma crise econômica, já que Sears e JCPenney também estão fechando muitas lojas.

Argumento 5: Um desenho dos Simpsons aponta 22/9 como momento do Arrebatamento.
Resposta: O desenho dos Simpsons já mostrou antecipadamente vários fatos reais. Mas, neste caso, ele não mostra uma data, e sim um número aleatório: 92200. Querer relacionar isso com a data do Arrebatamento é forçação.

Argumento 6: Setembro é o fim do ano Shemitá. Segundo a Torá, Shemitá é o descanso da terra da agricultura a cada sete anos. Assim, durante o ano Shemitá, os israelenses não podem lavrar a terra. Além disso, o último dia antes do fim do ano Shemitá é um dia em que os credores devem perdoar as dívidas. Esse último dia do ano Shemitá está historicamente relacionado a crises econômicas. O último dia do ano Shemitá de 2001, 17 de setembro (Elul 29 no calendário hebraico), foi o dia em que o mercado de ações americano abriu depois do 11/9. Aquele dia, a Dow Jones caiu 7% ou 684 pontos, a maior queda em pontos em um só dia na história de Wall Street. Esse recorde só foi superado no último dia do ano Shemitá seguinte, 29 de setembro de 2008 (também Elul 29 no calendário hebraico), em que a Dow Jones caiu 777 pontos (recorde até hoje). Anos Shemitás anteriores também teriam sinalizado o início de mudanças financeiras. O último dia deste ano Shemitá será 13 de setembro de 2015 (também Elul 29 no calendário hebraico), então alguns esperam um grande acontecimento financeiro para este dia.
Resposta: De fato, esses dados são comprovados. Podem ser apenas uma coincidência, ou será que essas quedas na bolsa americana se devem a um “perdão de dívidas” por parte do povo israelense? De qualquer forma, neste ano, 13 de setembro cai em um domingo, um dia em que as bolsas não operam. Mesmo que as ações caiam dia 14, se não for uma coincidência, será, no máximo, mais um grande evento da bolsa americana, que pode gerar mudanças financeiras mundiais.

Conclusão: não há motivo nenhum para pânico, mais uma vez. Nada realmente de efetivo que faça acreditar que um evento de proporções globais vai acontecer em setembro de 2015. Haverá eventos importantes, como Assembleia da ONU, visita do Papa à Casa Branca, etc. Mas, definitivamente, não é o fim do mundo, certo?

CNN tenta acabar com a imagem do Islã, especialista acaba com os jornalistas. Imperdível!!

Um vídeo que mostra bem a manipulação da grande mídia ocidental: CNN tentando fazer parecer que todos os muçulmanos são extremistas, apoiam atos terroristas, que o Islã é o responsável por todas as atrocidades em países árabes.

Do outro lado, um especialista calando a boca dos jornalistas, mostrando que essa generalização e ignorância são a causa das diferenças que incitam as guerras e intolerância. Para isso, ele usa dados concretos, inteligência e palavras como “isso é estúpido”.

É o que todos aqueles que não são condicionados pela mídia têm vontade de falar para esses jornalistas de m*%#@$ que não honram sua profissão.

Precisamos de mais caras corajosos e imparciais como esse especialista. Um vídeo de lavar a alma. Em inglês com legendas em espanhol.

Autoridades dos EUA dizem não ter provas que liguem Rússia à derrubada de avião

Oficiais do alto escalão do serviço de inteligência dos Estados Unidos afirmaram nesta terça-feira (22) que não há provas evidenciando a participação do governo da Rússia na derrubada do Boeing-777 da Malaysia Airlines, há uma semana.

Para os agentes norte-americanos ouvidos sob anonimato pela agência AP, a aeronave comercial com 298 pessoas a bordo foi abatida por um míssil terra-ar modelo SA-11 disparado por membros do grupo separatista pró-russo – provavelmente “por engano”, segundo crê um dos oficiais.

A hipótese de erro humano por parte dos separatistas é apoiada no retrospecto recente do conflito: 12 aeronaves militares ucranianas foram abatidas recentemente na região pelos grupos anti-Kiev, segundo dizem os oficiais.

Conforme relata a AP, o serviço de inteligência dos EUA continua a acreditar que Moscou “criou as condições” que levaram ao incidente. No entanto, não há qualquer evidência da participação direta de Moscou: não há notícia da presença de militares russos durante o lançamento do míssil ou informações sobre treinamento oferecido pela Rússia para a equipe que disparou o projétil.

Um dos funcionários do governo norte-americano disse ainda que os EUA não sabem nem o nome nem a posição do autor do disparo – “nem estamos 100% certos de que haja uma nacionalidade”. Segundo ele, os EUA não têm a pretensão de chegar a conclusões definitivas que esclareçam o evento.

Caixa-preta

Após as caixas-pretas serem entregues pelos separatistas às autoridades malaias, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou hoje que o material também será analisado por uma equipe britânica especializada em acidentes aéreos.

Aceitamos o pedido da Holanda para que os investigadores de acidentes aéreos de Farnborough recuperem a informação das caixas-pretas do voo MH17 para sua análise internacional”, anunciou Cameron em mensagem em sua conta no Twitter.

Também hoje, o presidente norte-americano, Barack Obama, visitou a embaixada da Holanda para oferecer seus pêsames pelas vítimas do avião da Malaysia Airlines. Obama garantiu que os dois países trabalharão em conjunto “até que se faça justiça”.

Fonte: Opera Mundi

O mundo está finalmente acordando? Conselho da ONU condena Israel pela ofensiva em Gaza

O Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovou resolução em Gaza e no Território Palestino ocupado, com 29 votos a favor, 1 contra e 17 abstenções. Adivinhem de quem foi o voto contra? Claro, EUA. Brasil, felizmente, votou a favor.

Foto: UN Human Rights Council

Foto: UN Human Rights Council

A resolução condena Israel e cria uma comissão que vai investigar a violação de direitos humanos, reivindica que Israel cesse os ataques militares e suspenda o bloqueio de ajuda humanitária.

Os recentes ataques israelenses já mataram quase 700 palestinos, a maioria civis, dentre os quais muitas crianças. Nos últimos 12 dias, uma criança palestina foi assassinada a cada hora, em ataques covardes e criminosos, como a hospitais e escolas. Mais de 4 mil estão feridos. No lado israelense, a baixa é de 32 militares e 3 civis.

Caso MH17: as investigações nem foram concluídas, mas a mídia “vidente” já anuncia a culpa de Putin

Chega a dar desgosto, chega a dar pena. A grande mídia já alardeia a culpa de Putin: o avião foi abatido por um míssil russo, afirma, sem duvida alguma, como se estivesse com todas as provas em suas mãos. Onde foi provado que o míssil era mesmo russo? Nos vídeos mostrando que talvez os separatistas o tinham em sua posse? Isso, para mim, não prova que o míssil atingiu o avião. Para mim e para qualquer um com um pouco de clareza e discernimento.

Este blog não é esquerdista, comunista, pró-Russia ou qualquer coisa parecida. Apenas a favor da verdade. E a verdade requer provas antes de ser divulgada. Podem ter sido os separatistas, com armamento fornecido pelos russos? Podem. Aliás, acredito mesmo que seja provável. Mas vamos esperar o resultado das investigações para afirmar isso com segurança, certo?

De um lado, os EUA afirmam possuírem fotos provando que o míssil foi disparado pelos rebeldes. O general russo Andrei Kartapolov já desafiou os EUA a mostrarem essas fotos `a comunidade internacional. Do outro lado, os russos afirmam que um caça ucraniano sobrevoava a região a uma distancia de apenas 3 a 5 km do avião, em sua direção. A palavra de um contra o outro, mas a mídia resolveu fazer o papel de tribunal internacional e apontar os culpados antes mesmo dos investigadores oficiais do caso. E, como mídia, me refiro a importantes veículos de comunicação.

Pessoalmente, considero plausível a versão dada por um especialista, do qual não me recordo o nome agora, dizendo que, provavelmente o alvo do suposto míssil era, na verdade, um avião militar ucraniano, que conseguiu escapar do míssil que, então, foi atraído pelo calor da turbina do MH17.

Por outro lado, qual seria a utilidade de um grupo separatista fazer um atentado desse tipo, sem assumir a autoria? Qual seria a utilidade deste fato para o Putin, que, depois do acontecido, e mesmo sem as conclusões oficiais, já começou a receber sanções a seu país? Por essas e outras que qualquer teoria precisa de provas para ser confirmada.

A Dilma, candidata não defendida por este blog, que fique bem claro, relutou em tomar conclusões precipitadas e foi logo atacada por colunista da revista Veja, colunista que, diga-se de passagem, admiro. Fiz um comentário em sua coluna criticando sua posição e, claro, o mesmo não foi publicado. Somente foram publicados comentários a favor do que estava escrito. Estranho, não? Achei que a mídia deveria ser imparcial, mas há muito tempo já sabemos que não é assim. Apenas imaginei que não fosse ficar tão na cara. Abaixo, as fotos que mostram a censura de meu comentário.

Meu comentário, como Carla, aguardando moderação. Comentários postados depois do meu já tinham sido publicados.

Meu comentário, como Carla, aguardando moderação. Comentários postados depois do meu já tinham sido publicados.

Posteriormente, meu comentário foi apagado e os comentários defendendo a matéria continuaram.

Posteriormente, meu comentário foi apagado e os comentários defendendo a matéria continuaram.

Se alguém não se lembrar sobre o episódio da Síria, que citei em meu comentário, basta ler o post publicado neste mesmo blog, aqui.

Se alguém quer saber mais sobre os assentamentos ilegais de Israel na Palestina, apoiados pelos EUA, também citado no comentário, pode ler aquiaqui.

Novamente, não estamos aqui defendendo Putin, que foi da KGB, mas estamos, sim, defendendo a verdade. Muitos podem dizer que, entre Putin e os EUA, claro que vão acreditar nos EUA, afinal, são sempre os bonzinhos e heróis da história. Que tal lembrarmos que os EUA já utilizaram armas químicas no Vietnã, fornecem equipamentos bélicos a grupos rebeldes e invadiram o Iraque com base na justificativa falsa de que o país guardava armas de destruição em massa? A essas pessoas que ainda acreditam na bondade ocidental, tenho apenas uma coisa a dizer: parem de assistir a filmes como Independence Day e comecem a ler a mídia de verdade, que apura os fatos antes de publicá-los.