O Planeta X pode realmente existir — mas isto a gente já sabia

Imagem: Don Dixon/ cosmographica.com

Imagem: Don Dixon/ cosmographica.com

Pelo menos dois planetas maiores do que a Terra provavelmente se escondem nas profundezas escuras do espaço muito além de Plutão, apenas esperando para ser descobertos, sugere uma nova análise das órbitas dos “objetos extremos transnetunianos” (ETNOs).

Pesquisadores estudaram 13 ETNOs — corpos gélidos, como o planeta-anão Sedna, que circundam o Sol a grandes distâncias em trajetórias elípticas.

Segundo membros da equipe de estudo, a teoria prevê um certo conjunto de detalhes para órbitas ETNO. Por exemplo, elas devem ter um semi-eixo maior, ou distância média do Sol, de cerca de 150 unidades astronômicas (UA) (1 UA é a distância entre a Terra e o Sol — cerca de 93 milhões de milhas ou 150 milhões de quilômetros). Essas órbitas também devem ter uma inclinação em relação ao plano do sistema solar de quase 0 grau, entre outras características.

Mas as órbitas reais dos 13 ETNOs são bastante diferentes, com semi-eixos maiores que variam 150-525 UA e inclinações médias de cerca de 20 graus.

“Esse excesso de objetos com parâmetros orbitais inesperados nos faz acreditar que algumas forças invisíveis estão alterando a distribuição dos elementos orbitais dos ETNOs, e consideramos que a explicação mais provável é a de que outros planetas desconhecidos existem além de Netuno e Plutão”, disse em um comunicado o autor principal Carlos de la Fuente Marcos, da Universidade Complutense de Madrid.

“O número exato é incerto, uma vez que os dados que temos são limitados, mas nossos cálculos sugerem que existem pelo menos dois planetas, e provavelmente mais, dentro dos limites do nosso sistema solar”, acrescentou.

Os potenciais mundos desconhecidos teriam mais massa do que a Terra, disseram os pesquisadores, e estariam a cerca de 200 AU ou mais de distância do sol — tão longe que seria muito difícil, se não impossível, detectá-los com os instrumentos atuais.

Os novos resultados, detalhados em dois artigos no periódico Monthly Notices of the Royal Astronomical Society: Letters, não são os primeiros a dar crédito para a possível existência de um chamado Planeta X.

Em março de 2014, Chadwick Trujillo e Scott Sheppard anunciaram a descoberta do 2012 VP113, um ETNO que nunca fica mais perto do Sol do que 80 AU. O 2012 VP113 então se juntou ao Sedna como os dois habitantes conhecidos do “interior da Nuvem de Oort”, uma região longínqua e em grande parte inexplorada do espaço além do Cinturão de Kuiper (onde Plutão se encontra).

Trujillo e Sheppard sugeriram que as órbitas do 2012 VP113 e e do Sedna são consistentes com a presença contínua de um grande “perturbador”— talvez um planeta com 10 vezes mais massa do que a Terra, situado a 250 UA do Sol.

No entanto, a dupla ressaltou que outras explicações também são possíveis. Por exemplo, o Sedna e o 2012 VP113 podem ter sido empurrados para fora de suas posições atuais por interações com outras estrelas no aglomerado do nascimento do Sol, há muito tempo atrás. Os objetos também podem ter sido capturados de outro sistema solar durante um encontro próximo estelar.

De la Fuente Marcos e seus colegas também reconhecem a possibilidade de tais cenários alternativos. O quadro deve ficar mais claro à medida que pesquisadores estudem as órbitas de objetos gelados cada vez mais distantes, disse ele.

“Se confirmado, nossos resultados podem ser verdadeiramente revolucionários para a astronomia”, disse de la Fuente Marcos.

Fonte: Space.com

Anúncios

3 respostas em “O Planeta X pode realmente existir — mas isto a gente já sabia

  1. Irmãos, se formos esperar a comunidade científica confirmar a existência e o porque de tudo que está ocorrendo, aqui e agora, teremos que esperar ainda por um bom tempo, talvez por séculos e tudo devido ao EGO E A VAIDADE, que neste meio, é o centro de tudo.
    Para finalizar, gostaria de saber porque MARIA, OU BRUNO, foram censurados na matéria sobre a inversão dos polos, sendo que, desde já, me despeço, definitivamente, dos comentários deste post, que há muito tempo acompanho e respeito, na pessoa da Carla
    Quanto ao questionamento feito, aguardo apenas, uma boa resposta que seja, aqui e agora..
    Namastê e que a luz da verdade sempre prevaleça, tanto aqui, quanto acolá.

    • Oi, Maria (Bruno), tudo bem?

      Concordo que não precisamos esperar a comprovação da comunidade científica. Por outro lado, uma comprovação científica tem muito peso para a maioria das pessoas, que acabam não acreditando na existência do Planeta X (e em muitos outros temas) porque não têm interesse de pesquisar a fundo, ou não sabem onde pesquisar, ou aceitam tudo o que a mídia fala, sem questionar.

      Com relação à censura que você comentou, não sei se você estava se referindo aos seus posts ainda não terem sido publicados. Eu não tive tempo de acessar o blog ontem, por isso não foram publicados antes, mas se você olhar agora verá que eles estão publicados, inclusive com uma resposta minha.

      Gostaria que não abandonasse o blog e os seus comentários, porque acho que a visão de todos pode agregar ao debate sobre essas questões que vivemos hoje. Todos, incluindo você, serão sempre bem-vindos.

      Obrigada!!
      Carla

  2. Caso esteja enganado, desconsidere o que disse, por favor.
    Fiquem todos na luz da consciência sempre e sem EGO.
    Namastê.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s