O dedo dos EUA nas guerras civis dos países árabes

Que país é esse? Não sei, mas vamos libertá-lo!!

Que país é esse? Não sei, mas vamos libertá-lo!!

E a fórmula se repete. Os EUA entram no país, derrubam quem está no poder e criam uma desestabilização política e de segurança que vira terreno fértil para a criação de grupos extremistas. Foi assim com Saddam Hussein: com a retirada das tropas americanas do Iraque em 2003 e a dissolução do exército iraquiano, o país ficou a Deus dará e abriu-se espaço para a criação do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL), formada pelos sunitas excluídos pela nova política do primeiro-ministro escolhido pelos EUA, que os marginalizou. O ISIL, então, é um subproduto da “democracia” americana que, agora, está sendo combatido pelos próprios EUA. Mais do que isso, o ISIL agora tem em mãos as armas que capturou do exército iraquiano, fornecidas pelos EUA.

O grupo ISIL ainda recebeu financiamento para entrar ao lado dos rebeldes na guerra civil na Síria contra Bashar-Al Assad, o que também ajudou na expansão do grupo para aquele território. O resultado está nos noticiários: ISIL já controla uma área equivalente à do Reino Unido.

Agora, a fórmula acontece novamente na Líbia. Depois da sangrenta atuação da OTAN com apoio dos EUA, que bombardeou cidades inteiras na Líbia e cercou comunidades impedindo a chegada de alimentos e medicamentos, veio a queda de Kaddafi. Depois disso, vieram as eleições fraudulentas que foram rejeitadas pelo país. A Líbia, agora terra de ninguém, virou palco para conflitos armados e uma desestabilização tão grande que hoje há um segundo governo autodeclarado no país, criado por um grupo armado que já controla a capital Trípoli. Eles tem até um ministro do petróleo. A Líbia, antes, estado próspero, está reduzida a ruínas, fumaça e cidades-fantasmas. E sem resistência a qualquer tipo de saque de seus recursos monetários e naturais pelos países ocidentais.

Líbia, antes e depois da "democracia" americana

Líbia, antes e depois da “democracia” americana

A mesma fórmula está sendo usada em países como Síria e Ucrânia. Os EUA e a OTAN armando grupos rebeldes, até mesmo da Al-Qaeda, justificando que trata-se de uma luta pela democracia. Os papéis se invertem aos olhos da mídia que reproduz o discurso ocidental. Mas, para quem ainda tem dúvidas se a intervenção da OTAN/EUA realmente é a favor da democracia e do bem estar dos cidadãos, olhem bem o exemplo da Líbia e do Iraque. A resposta está bem clara.

Anúncios

7 respostas em “O dedo dos EUA nas guerras civis dos países árabes

  1. Irmãos, isso sempre foi assim e continuará sendo, até que uma força maior, ou superior, que já é o caso, aqui e agora, possa mudar o destino deste planeta, de vez por todas. Caso contrário, se formos depender da consciência humana e , principalmente, americana, só nos fudiremos, cada vez mais. Namastê.

  2. Irmãos, em relação as eleições, o que preocupa é o fato de a DILMA ter disparado, justamente, no final da campanha, quando isso pode estar antecipando uma GRANDE FRALDE ELEITORAL, visto que as nossas ‘URNAS’, poderão estar viciadas, entendem?
    Como o LULA E A DILMA, já inventaram até um câncer para ganhar as eleições, tudo é possível, inclusive o impossível, se é que me compreendem. O AÉCIO que se cuide e VIGIE bem, caso contrário……????? Namastê e que todos tenham a consciência cívica da MUDANÇA, PARA CONSERTAR. Se não houver isso, o país caminhará para ser uma nova e inevitável VENEZUELA.
    Alguém em sâ consciência, deseja que isso ocorra? A HORA É DE MUDANÇA E SE NÃO DER CERTO, MUDAMOS NOVAMENTE, MAS O QUE NÃO DÁ MAIS É FICARMOS NA DÚVIDA, NÃO É MESMO?

    • Digo FRAUDE ELEITORAL, OU SEJA, TODO O SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO É UMA GRANDE FRAUDE. Namastê
      Aliás, TODO O SISTEMA.

  3. Irmãos, com um resultado tão estranho, com uma abstenção absurda e com tanta maracutaia já vivenciada na campanha e antes, só nos resta questionar as URNAS, ou seja, se eu fosse o AÉCIO, com certeza confirmaria em juízo, o que muitos já especulam, principalmente, quanto a idoneidade da empresa americana que confecciona as nossas caixinhas eletrônicas de votação, VICIADA? Namastê
    Como consolo nos resta o fato de que a grande maioria do povo brasileiro não compactua mais com o que está aí. Este fato se comprova na vitória apertada e na grande concentração de eleitores que votaram, ou em branco, anularam e absteram de votar.
    Se formos somar isso como sendo uma resposta negativa ao atual governo, veremos que sobram poucos avermelhados de vergonha.

  4. Irmãos, nos meus cálculos exatos, computando todos os votos, AÉCIO apareceria em primeiro com 75,80 % e a DILMA com 24,20%, o que demonstra , claramente, a insatisfação com o governo atual, que não tem a maioria e sim, a minoria do eleitorado nacional. Pra quem acha o contrário, os números estão aí nos indecisos, brancos, nulos e abstinentes. Namastê . Portanto, LULA, DILMA, PT, PMDB, PP, ETC, QUE SE CUIDEM.
    Basta dizer que a DILMA só venceu no nordeste e no norte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s