Alerta vermelho: Rússia unindo forças contra Israel

Enquanto a mídia está babando pelo bebê de Kate & William, outra questão muito mais “real” está sendo deixada de lado. Um conflito com potencial de guerra mundial pode estar brotando do lado de lá do mundo.

Depois que Israel bombardeou os mísseis russos na Síria, o presidente da Rússia, Vladmir Putin, ordenou um exercício envolvendo 160.000 homens, cerca de 1.000 veículos armados, 130 aeronaves e 70 navios de guerra. E pediu, agora, que entrem em estado de prontidão de combate total.

Uma guerra entre os dois países, se concretizada, tem potencial de guerra mundial porque poderia envolver armas mais prejudiciais e aliados como EUA e China. O que nos faz lembrar de uma passagem de Isaías 17:11-3 “Eis que Damasco será tirada, para não mais ser cidade, e se tornará um montão de ruínas. As cidades de Aroer serão abandonadas; hão de ser para os rebanhos, que se deitarão sem haver quem os espante. E a fortaleza de Efraim cessará, como também o reino de Damasco e o resto da Síria; serão como a glória dos filhos de Israel, diz o Senhor dos exércitos.”

Anúncios

Papa aparece com chifres na capa da Time

A capa da revista Time da Europa, Ásia e America do Sul traz o Papa Francisco na frente de seu logo. Até aí, nada demais. Só que ele está posicionado de uma forma que parece que está com chifres. Novamente, pensei: até aí, nada demais.

POPE_TIME_1-1

O problema é que esse tipo de coisa não acontece por acaso em uma revista desse porte. O diagramador sempre presta atenção em tudo. Assim como o editor e todos os que pegam na revista antes de ela ir para as bancas. A figura do Papa poderia ter sido reduzida para isso não acontecer, como já aconteceu em outras capas. Além disso, isso foi acontecer justo em uma capa de teor religioso? Coincidência demais, não?

Junte-se a isso o fato de que a revista Time pertence ao grupo Time Warner, de judeus. Nada contra judeus, hein? Mas tudo contra os sionistas. Mais coincidência?

Tire suas conclusões.

Ruína misteriosa está sendo acobertada em Natividade da Serra

Era uma vez um dono de fazenda que, inspirado por uma viagem à Grécia e ao Egito, resolveu erguer uma pequena pirâmide em sua propriedade em Natividade da Serra, São Paulo. Para isso, foi até um amontoado de pedras que havia lá desde não se sabe quando, e começou a escavar para preparar o terreno. Porém, o proprietário percebeu algo de diferente naquelas pedras. Elas tinham corte reto, não naturais, e pareciam fazer parte de uma antiga ruína. Além disso, surgiram lajes e pavimentação em suas escavações.

A história é verídica e se iniciou em 2003, em um caso de mistério e ocultamento que dura até hoje. O dito senhor, ao perceber a natureza um tanto especial de sua descoberta, foi ter com o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Os técnicos enviados relataram que se tratava de uma formação natural. Mas os problemas começam aí. Arqueólogos e geólogos mais do que letrados têm uma opinião diferente, como pode ser visto nesta matéria do jornal Gazetas do Povo: “Para o arqueólogo (…) esse achado pode revelar a presença de outras culturas, mais avançadas tecnologicamente, que as tradicionais nações indígenas que povoavam essa faixa da América do Sul. ‘Com certeza isto não é obra dos índios que conhecemos’, comenta o pesquisador.” Conforme Paulo Roberto Martini, geólogo do INPE, relata ao mesmo jornal, “Não há como explicar os cortes e a disposição das pedras. (…) Não há dúvida que aquilo é algo muito antigo e feito pelo homem”. Segundo ele, não há conhecimento sobre o uso de rochas cristalinas pelos índios brasileiros. Veja aqui seu parecer técnico. O outro arqueólogo, no entanto, depois negou que tivesse dado tal parecer ao jornal, dizendo que limitou-se apenas a analisar fotos, identificando um antigo calçamento, sem mais detalhes ou aprofundamentos.

Depois disso, a polícia ambiental colocou o local sob proteção, aparentemente contrariando o laudo oficial do IPHAN, que, por sua vez, contrariou o relato de pesquisadores sérios, de acordo com o site Piramidal. Entretanto, pelo que se sabe, até agora não houve iniciativa de pesquisa no local.

O arquiteto Carlos Pérez Gomar, que já trabalhou 40 anos com patrimônio cultural e que está pesquisando o local de forma independente, contestou o laudo do IPHAN, veja aqui seu relatório. Estamos aguardando alguma resposta do instituto.

O que parece estar havendo é um grave acobertamento, porque:

– o IPHAN é categórico ao afirmar que são formações naturais
– renomados pesquisadores afirmam se tratar de ruínas arqueológicas importantíssimas, e definitivamente não coloniais
– o senhor Plácido Cali, aparentemente, não demonstrou interesse em visitar o local, mesmo sendo um arqueólogo (poderia estar sofrendo algum tipo de pressão?)
– o Ministério Público Federal de Taubaté não se posiciona
– a polícia ambiental está protegendo o local

Veja fotos do local, algumas do arquivo pessoal do arquiteto, e outras retiradas do site Piramidal.

img_fazenda_palmeiras

foto-04_lajes-padronizadas

foto-02

formacao-similar-a-uma-pavimentacao

foto-07_bloco-dentro-da-estrutura

9

10

Local parece esconder uma estrutura sob a vegetação

Local parece esconder uma estrutura sob a vegetação

Croquis da disposição de algumas pedras.

Croquis da disposição de algumas pedras

Essa descoberta é algo que poderia mudar a história que conhecemos sobre as civilizações pré-colombianas, e por isso é importantíssimo que levemos este fato a conhecimento público – sem prejudicar de nenhuma forma o proprietário da fazenda – para que alguma atitude seja tomada em relação a isso.

As pirâmides mais antigas do mundo estão no Brasil

É sabido que, de uma forma quase inexplicável, antigas pirâmides podem ser encontradas em diversos locais do mundo, sem que houvesse ligação aparente entre os povos.

Pirâmide brasileira

Pirâmide brasileira

O que não é de conhecimento geral é que o Brasil também abriga algumas dessas pirâmides e, mais ainda, elas seriam as mais antigas do mundo, datando de 3.000 aC. Há quem diga que as pirâmides mais antigas estão na Bósnia, mas, segundo a comunidade científica, essas últimas são apenas formações naturais.

Assim como as pirâmides egípcias, as pirâmides brasileiras eram utilizadas em rituais religiosos e para sepultamento. Eram feitas principalmente de conchas, razão pela qual, antes das pesquisas arqueológicas que encontraram ossos, equipamentos de pesca e objetos decorativos, pensava-se que aquelas formas eram apenas lixo.

Pirâmides brasileiras são feitas de conchas

Pirâmides brasileiras são feitas de conchas

As pirâmides brasileiras podem ser encontradas na costa do Brasil, principalmente no sudeste e em Santa Catarina. Mas elas não são as únicas: pirâmides ainda mais misteriosas já foram encontradas na Amazônia. Mas essa é uma história que merece um post à parte, em breve.

Sobre a indicação de Snowden para o Nobel da Paz

O whistleblower Edward Snowden, conhecido – e procurado – por contar ao mundo sobre o programa de espionagem americano, foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz, em um verdadeiro tapa na cara de Washington. Mas não é só isso. Stefan Svallfors, o professor que o indicou, disse que premiar Snowden seria uma forma de corrigir o erro que o comitê cometeu ao entregar o prêmio a Barack Obama.

Svallfors escreveu que “Edward Snowden – em um esforço heróico a um grande custo pessoal – revelou a existência e a extensão da espionagem. (…) Revelando este programa de monitoramento – conduzido em contravenção a leis nacionais e acordos internacionais – Edward Snowden ajudou a deixar o mundo um pouco melhor e mais seguro”.

Ainda não se sabe se Snowden vai concorrer ao Nobel desse ano ou do ano que vem. Acredito que os outros indicados também são merecedores do prêmio, mas premiar o Snowden seria um acerto no momento atual, dada a amplitude e as implicações da divulgação de seu caso. Mais que um prêmio, seria o mundo (ou parte dele) questionando publicamente os EUA, seus interesses e ações. Seria mostrar que os EUA não são mais os donos da verdade.