Esfera gigante é registrada atrás do sol pela Stereo Behind

A esfera gigante pode ser vista ao lado direito do sol, no vídeo.

Este vídeo foi feito no programa “movie maker” a partir de 83 imagens disponibilizadas pela NASA referente a imagens registradas no filtro EUVI 195 do Stereo Behind. Intensificamos o efeito de meio-tom nas imagens para sobressair a “anomalia” (que aparece ao lado direito do sol) e no movie maker aplicamos o efeito onde é percorrido todo o espectro das cores.

Pequenas possíveis conclusões ao observar o vídeo:

1 – No vídeo, a esfera está atrás do Sol (em profundidade), ou seja, é ainda maior do que aparenta ser no vídeo.

2 – O tamanho da esfera, coincidência ou não, pode ser aproximadamente o mesmo que a própria ciência no passado divulgou ser o tamanho do Segundo Sol (um dos nomes adotados pela ciência foi “Planeta X”), ou seja, 4 vezes o tamanho de Júpiter (4 vezes o diâmetro).

3 – A imagem abaixo representa a comparação do tamanho do nosso Sol com Júpiter (o maior planeta do nosso sistema solar). Ainda faz uma comparação com o Segundo Sol (Hercólubus), onde algumas fontes dizem ser aproximadamente 4 vezes o diâmetro de Júpiter (recorrendo a matemática básica no cálculo de volume de esfera ((pi*diâmetro³)6), equivaleria dizer que dentro de Hercólubus caberia, aproximadamente, 64 planetas do tamanho de Júpiter. (Obs. Dentro de Júpiter caberia aproximadamente 1.400 planetas do tamanho da Terra).

 Fonte: Segundo Sol.
 
Anúncios

Petição para esclarecimentos sobre o caso Roswell

No site de petições We The People, da Casa Branca, foi criada hoje uma petição que pede esclarecimentos com relação ao caso Roswell. Para receber uma resposta digna do governo, esta petição precisa somar 25 mil assinaturas até dia 10 de outubro de 2012. Vamos assinar, pessoal!!

Assine aqui e compartilhe.

NÓS PETICIONAMOS À ADMINISTRAÇÃO OBAMA QUE:

Reinvestigue um alegado acidente de veículo extraterrestre próximo a Roswell, NM, em 1947 e o acobertamento dos fatos pela Força Aérea Americana.

Disclosure Petition V – Roswell

por Paradigm Research Group

Tenente-Coronel Philip Corso (USA) “Eu estive em posse do Arquivo Roswell. Este arquivo contém relatórios de campo, relatórios médicos de autópsia e detritos tecnológicos do acidente de um veículo extraterrestre”.

Capitão Edgar Mitchell (USAF/NASA) “Roswell foi um incidente real, em que uma nave alienígena realmente se acidentou, e cujo material foi recuperado no local”.

Gov. Bill Richardson “O mistério em torno deste acidente nunca foi adequadamente explicado – nem por investigadores independentes, e nem pelo governo dos Estados Unidos”.

Chase Brandon (CIA) “Era uma nave que claramente não veio deste planeta”.

Tenente-Coronel Richard French (USAF) “Na verdade, houve dois acidentes em Roswell.”

Mais citações: http://www.paradigmresearchgroup.org/QuotesPage.htm

Gravíssimo: o verdadeiro objetivo para a construção de Belo Monte pode ser o ouro da região.

Sim, é isso mesmo. O fato é que existe uma empresa canadense, chamada Belo Sun Mining Corporation, que está desenvolvendo o maior projeto de exploração de ouro do Brasil. Onde? Na Volta Grande do Xingu, a exatos 15 km da construção da Usina de Belo Monte.

Vamos às nossas pesquisas. A Belo Sun é uma empresa com ações na bolsa canadense. Ela se chamava Verena Minerals, antes de mudar o nome para Belo Sun. Esta Belo Sun pertence a um banco mercantil chamado Forbes&Manhattan. Olha que curioso: o criador desse grupo, Stan Barthi, é amigo pessoal do Eike Batista. Eike inclusive já participou de alguns fóruns de sua empresa, como podemos ver aqui, e trouxe o modelo de negócios da Forbes&Manhattan para o Brasil anos atrás. E ela está explorando ouro na mesma região que Eike explorou entre 1980 e 1990. Por isso, ele está sendo visto como um potencial investidor nas ações da empresa (ele pode lucrar muito depois que o ouro começar a ser explorado). Aqui, mais abaixo no artigo, podemos ver que a Belo Sun também estaria interessada em diamantes da região.

E o que isso tudo tem a ver com a Usina de Belo Monte? Há desconfianças de que a Usina poderia estar sendo construída para fornecer energia à mineradora na exploração do ouro de Volta Grande. Aqui podemos ler o Relatório de Impacto Ambiental do Projeto Volta Grande (este projeto de extração de ouro). Há um trecho que chama bastante atenção: na página 6, quando explicam quais fontes de energia serão utilizadas, dizem que para a implantação do projeto, utilizarão geradores instalados e, depois, quando a coisa começar de verdade, utilizarão a energia de Belo Monte.

“O fornecimento de energia elétrica, a princípio, será feito por meio de geradores instalados no canteiro de obra, para atender a demanda necessária para a implantação do projeto. Serão adquiridos grupos geradores a diesel de 550 KVA e de 250 KVA para suprir toda a demanda inicial de energia elétrica do empreendimento. Até que seja instalada a linha de transmissão prevista (derivação da subestação de Altamira ou da UHE Belo Monte, em 138 KVA), os conjuntos geradores ficarão dispostos próximos às áreas de demanda, núcleos de alojamentos e áreas administrativas e de apoio operacional.”

O que corrobora a teoria de que a usina seria construída para atender à demanda das mineradoras. Isso está escrito no Relatório de Impacto Ambiental do projeto. E falando em impacto ambiental, podemos ler que há riscos gravíssimos para a região:

– perda de espécimes da flora
– alteração do metabolismo vegetal pela deposição de material particulado na face superior das folhas
– afugentamento e perturbações da fauna
– alterações populacionais de espécies vetores
– alterações na dinâmica ecológica da fauna edáfica
– perda de habitats aquáticos
– impactos na alteração do modo de vida da população e das formas de apropriação e do uso da terra
– destruição, parcial ou total, do patrimônio arqueológico

E por aí vai. Resta saber até que ponto vamos conseguir passar essa informação para a frente e abrir os olhos dos brasileiros.