Pseudologia fantástica

Fiquei sabendo que:
1. Por ordem pessoal e direta do prêmio Nobel da PAZ, a Líbia foi declarada como zona proibida para vôos de aviões, por razões humanitárias.
2. Não foi o suficiente e o país começou a ser bombardeado, por razões humanitárias.
3. As principais vítimas foram os civís: escolas, hospitais, prédios residenciais, laboratórios.
4. Não deu certo. Palácios, quartéis, estradas, parques, prédios públicos, tudo foi arrasado.
5. Não funcionou. A NATO – organização terrorista internacional que sustenta os atos da ONU – contrata mercenários para o serviço sujo, incluindo alguns vizinhos africanos da Líbia.
6. Foi pouco. A NATO  também chamou a Al Qaeda (antes, eles eram os demônios) para libertar o povo líbio.
7. Todos muito incompetentes; não deu certo. Começaram a brigar entre si e chegaram a matar o próprio comandante deles. Abafa o caso.
8. Também começaram a matar todos os negros da Líbia (limpeza étnica do século 21) sob pretexto de serem pró Kadafi, como se isso fosse crime. Os vizinhos africanos perceberam a mancada fatal, mas era tarde.
9. A humilhação era grande. Inglaterra, Itália, França, Alemanha e EUA não foram capazes de derrotar um povinho de 6 milhões de pessoas. Kadafi ficou firme na liderança.
10. Partiram com tudo: navios, tanques, tropas e armas químicas (!!!).
11. Não adiantou. Para mostrar ao mundo como são bons, montaram uma cidade cenográfica e encenaram a tomada da Bastilha, digo, da Líbia, com o “povo” comemorando a derrubada de Kadafi. Começaram a criar o governo provisório. O mundo todo caiu na deles, idiotas que são todos eles, atores e espectadores desinformados por consciência própria.
12. A farsa continuou, com o apoio moral e “prestigial” da BBC, Reuters, AP e todas as outras agências judaicas (são apenas 5, agora, que dominam tudo; uma judiação!).
13. A Alemanha percebeu para onde estava indo e falou: Tô fora! Preferiu ir se ocupar com os gregos e seus presentes maravilhosos.
14. A mentira precisava parecer consistente. Criaram um governo provisório (uma junta provisória), uma bandeira própria e – pasmem! – até uma cadeira na ONU (que a Palestina luta há muitas décadas para conseguir). O mundo continua entorpecido, como sempre.
Hoje, verificando uma pontinha da realidade, também fiquei sabendo que:
1. O ataque criminoso e invasor da NATO continua. Bombardeios indiscriminados detonam mais – e sempre – civís líbios. Bandeiras verdes (as novas) aparecem em partes de Bengazi, Cirenaica e outras cidades.
2. O Dr. Moussa Ibrahim, porta-voz do ainda atual governo líbio, por telefone, falou à Reuters reclamando do desrespeito da ONU e seus crimes contra a paz e seus crimes de guerra contra a humanidade.
3. Apesar da invasão, a Líbia resiste e seus cidadãos (não o exército) reuniram 20.000 tuaregues (nativos tribais) e partiram prá cima das tropas da ONU provocando perdas significativas nelas. Mudaram a estratégia e táticas de guerrilha agora funcionam contra milhares de mercenários importados do Afeganistão. Capturaram 17 capangas da NATO e o tal de governo provisório perdeu 45 homens, junto com outros 400 mercenários diversos.
4. O jornalista diz: “A estratégia líbia tem o apoio da população, cujo sentimento geral é de que a tal ‘revolução’ é um esquema nojento. Cansaram dos abusos, destruição, estupros e pilhagens cometidos pelos guerrilheiros da Al Qaeda.” A Líbia é um país destruído.
5. Sabem quem é o “líder” do governo provisório (TNC) apoiado pela ONU? É Hasidi ou Abdelhakim Belhadj, ex-detento de Guantánamo que se vangloria de ter matado dezenas de soldados americanos. (Eles se merecem!)
6. A NATO e o TNC não controlam mais do que 15% da Líbia e só 5% dos nativos são a favor da NATO e do TNC.
7. A mentirosa NATO divulga que há um novo governo. A verdade é que 95% da população líbia se opõe à ocupação. É por isso que estão sendo pulverizados com fogo de metralhadoras e de helicópteros Apache, americanos. Tudo por uma questão humanitária, como sabem. Ontem, uma escola (mais uma) em  Sabah que abrigava 70 famílias desalojadas, foi bombardeada pela NATO, com pesadas perdas civís (mulheres e crianças).
8. O Dr. Moussa Ibrahim convidou as Nações Unidas para ir testemunhar os massacres e completou: “a NATO apoia uma gang de criminosos e os reconhece como membros plenos da ONU, enquanto a Palestina luta por esse direito há 60 anos.”
Conclusão: A ONU é uma ONG internacional, usada pela NATO para dar legitimidade à subversão, a crimes contra a paz e prática de crimes de guerra contra a humanidade; é a antítese da sua finalidade.
Fonte:
Antonio Carlos – MG
Eu sou o que sou
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s